Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Por que o mundo presta atenção apenas no Estado Islâmico?

Também vimos muitos relatórios sobre o regime. O EI fez muito menos (do que Al-Assad). Cometeu, de fato, muitos crimes. Mas nada comparável a Ghouta (ataque químico em Ghouta, subúrbio de Damasco, atribuído ao regime e com estimativas de algumas dezenas até 1,7 mil mortos). Há também outros crimes cometidos pelo PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão, facção curda) e pelas milícias xiitas. Tudo isso levará mais e mais sunitas a apoiar o EI. Veja o PUD (Partido Democrático Unitário, outra facção curda): eles expulsaram milhares de árabes, e ninguém sequer os condena. Por que o mundo presta atenção apenas no EI?


É como acontece com um gato. Quando ele é apanhado num canto, pode se tornar um tigre. Em Burma, sob pressão, alguns burmaneses estão se juntando à Al-Qaeda. Se você fosse à Síria logo depois do início da revolução, não encontraria extremistas. As políticas erradas estão levando a onde estamos agora. Se o regime não cair, não haverá paz. E, se os ataques ao EI continuarem, isso aumentará o risco de ataques também na Europa, nos Estados Unidos, em toda parte.



[...]


Como analisa o papel dos Estados Unidos na crise síria? Os Estados Unidos são responsáveis diretos por essa crise na Síria. Como eu já disse, eles declararam para quem quisesse ouvir, em vários fóruns internacionais, que estão armando e financiando os terroristas na Síria. Assim como eles criaram a Al-Qaeda, eles criaram o Estado Islâmico. Eles o financiam, fornecem-lhe armas, treinam seus membros, dão suporte logístico e cobertura necessária para que esse grupo desestabilize não somente a Síria, mas toda a região do Oriente Médio, como forma de proteger Israel e dar prosseguimento às suas políticas expansionistas. Recentemente, em relatório feito pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, a ONU reconheceu que Israel dá apoio e suporte aos terroristas na Síria, impede, ameaça e sabota o trabalho das forças de paz nas Colinas de Golã (Undof) e permite a entrada de terroristas através das fronteiras. Se os Estados Unidos e seus aliados na região, como a Arábia Saudita, a Turquia e o Catar, quisessem de fato acabar com o chamado Estado Islâmico, bastaria secar as fontes de financiamento deste grupo. Seria a melhor forma de sufocá-lo, mas eles não o fizeram.


https://diariocatarinense.creatavist.com/estadoislamico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores