Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

quinta-feira, 16 de abril de 2015

O que pensa o manifestante que foi às ruas no último domingo

Pesquisa coordenada por professores da USP e Unifesp entrevistou mais de 500 pessoas que participaram da manifestação do último domingo na avenida Paulista e traçou algumas características dos manifestantes. O resultado revelou um nível de desinformação assustador

Uma pesquisa coordenada por Pablo Ortellado, professor do curso de Gestão de Políticas Públicas da USP, e Esther Solano, professora de relações internacionais da Unifesp, revelou algumas características dos manifestantes que estiveram na avenida paulista no último domingo pedindo o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Perguntados em quem "confiam muito", o militar reformado e deputado federal Jair Bolsonaro sai na frente de Marina Silva, ambientalista candidata a presidente nas últimas eleições.

A pesquisa, que ouviu 571 pessoas, teve o objetivo de analisar a confiança no sistema político e as fontes de informação. Confira o resultado abaixo.

Boatos:

– 71% concordam com a afirmação que "Fabio Luis Lula da Silva, o Lulinha, é sócio da Friboi"
– 64% acham que "o PT quer implantar um regime comunista no Brasil",
– 56% creem que "o Foro de São Paulo (agremiação de alguns partidos de esquerda da América Latina criada na década de 90) quer criar uma ditadura bolivariana no Brasil"
– 53% acham que "o Primeiro Comando da Capital (PCC) é um braço armado do PT"
– 42% concordam que "o PT trouxe 50.000 haitianos para votar na Dilma nas últimas eleições

O levantamento ainda colheu outras opiniões dos participantes dos movimentos anti-Dilma:

– 85% acreditam que "os desvios da Petrobras são o maior caso de corrupção da história do Brasil"
– 71% acham que "cotas nas universidades geram mais racismo"
– 60,4% dos manifestantes, "o Bolsa-Família só financia preguiçoso"

Confiança nos políticos brasileiros:

– 29,10% dizem confiar em Geraldo Alcmin (PSDB-SP), o preferido pelos os manifestantes
– 24% confiam muito em José Serra (PSDB-SP)
– 22,60% confiam em Aécio Neves (PSDB-MG). O senador mineiro é o terceiro na preferência dos manifestantes.

Ainda de acordo com o estudo, 19,4% confiam muito em Bolsonaro (4º colocado), e 14,7%, em Marina Silva. Dilma Rousseff (96,7%) e Lula (95%) tiveram o maior percentual de rejeição dos manifestantes.

Confiança na imprensa brasileira:

– 49,5%: Rachel Sheherazade, do SBT, foi apontada como a jornalista em quem os manifestantes mais confiam
– 39,60%: Reinaldo Azevedo, da Veja, aparece em segundo lugar
– 52%: a Revista Veja foi apontada como o veículo de comunicação de mais confiança entre os manifestantes

Estadão e Globo News aparecem em seguida, respectivamente, como os veículos de mídia preferidos dos manifestantes pró-impeachment.

A respeito da rejeição e da confiança nos partidos, os números são os seguintes:

– 96% rejeitam o PT
– 82% rejeitam o PMDB

Sobre a avaliação que os manifestantes fazem dos partido políticos, chamou a atenção do pesquisador Pablo Ortellado que agremiações antagônicas como PSOL (partido de Luciana Genro) e PMDB (partido de Eduardo Cunha) tenham índices de confiança equivalentes na concepção dos manifestantes: 1,9% e 1,4%, respectivamente. "Esse é mais um fator que aponta para um descrédito total das pessoas", diz Ortellado.

Confiança nos movimentos:

– 71% dizem que confiar muito no 'Vem Pra Rua', liderado por Rogério Chequer
– 52,7% confiam muito no Movimento Brasil Livre
– 25% confiam muito no Movimento Passe Livre (MPL)

Ortellado explicou por que ainda há, entre os manifestantes de domingo – público de perfil majoritariamente conservador -, certa confiança no Movimento Passe Livre, o movimento que luta pela pela tarifa zero no transporte público: "O MPL é uma força genuinamente e legitimamente apartidária", diz. "Além disso, as pessoas só estão nas ruas por conta das manifestações de junho de 2013, e quem levantou esse movimento foi MPL".

Curiosamente, o Movimento Passe Livre teve índice de confiança superior ao grupo fundamentalista Revoltados Online (um dos organizadores do protesto).

A pesquisa ouviu 571 pessoas entre as 13h30 e as 17h30 do domingo em toda a extensão da Avenida Paulista. Segundo levantamento, a maioria dos manifestantes eram homens (52,7%), brancos (77,4%), com nível superior completo (68,5%) e com renda entre 7.880 reais e 15.760 reais (28,5%). A íntegra da pesquisa pode ser vista aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores