Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

terça-feira, 22 de setembro de 2015

10 opiniões 10 asnos de gravata

políticos declarações absurdas deputados

1. "Um dia, chegaremos a um estágio em que será possível determinar se um bebê, ainda no útero, tem tendência à criminalidade, e se sim, a mãe não terá permissão para dar à luz" (Laerte Bessa)

O deputado federal Laerte Bessa (PR-DF) se envolveu numa polêmica após a repercussão de uma entrevista publicada no jornal britânico The Guardian no final de junho.

Bessa, que é relator do projeto de redução da maioridade penal, disse em entrevista que no futuro será possível detectar tendências criminosas em bebês ainda no útero. Nesses casos, de acordo o deputado, as mães não teriam permissão de dar à luz.

2. "Se está com desejo sexual, estupra, mas não mata" (Paulo Maluf)

A frase foi dita durante a campanha para prefeito de São Paulo em 1992.

Como Maluf explicou a frase: Numa entrevista concedida ao jornal O Estado de S.Paulo em 2008, Maluf justificou que a frase foi dita numa conferência em Belo Horizonte, onde dizia que o estupro era um crime hediondo, e que o estupro seguido de morte mereceria prisão perpétua. "Se tem alguém que adora defender as mulheres, é o Paulo Maluf", disse ele.

3. "Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé (Marco Feliciano-PSC)

Frase publicada em 2011 no Twitter pessoal do deputado e pastor Marco Feliciano.

Como Feliciano explicou a frase: Logo após a publicação, o deputado disse, em entrevista ao UOL que as mensagens foram publicadas por assessores, sem a sua aprovação e que não as considerava racistas.

4. "O filho começa a ficar, assim, meio gayzinho, leva um couro e muda o comportamento dele" (Jair Bolsonaro-PP)

Frase de Jair Bolsonaro dita em 2010 durante programa Participação Popular, da TV Câmara.

Como Bolsonaro explicou a frase: O deputado repetiu a opinião em outros programas de televisão e disse que não retiraria "nenhuma palavra do que disse". A postura de Bolsonaro foi reprovada pela maior parte dos parlamentares.

5. "Relaxa e goza, porque depois você vai esquecer todos os transtornos" (Marta Suplicy-PMDB | na época, era ministra pelo PT)

Frase de Marta Suplicy dita em 2007 a respeito das longas filas enfrentadas pelos passageiros durante a crise aérea.

Como Marta Suplicy explica a frase: No dia seguinte à declaração, a deputada divulgou uma nota oficial pedindo desculpas "aos turistas e a todos os brasileiros pela frase infeliz que proferi hoje, ao término de uma entrevista coletiva. Não tive por intenção desdenhar, muito menos minimizar os transtornos que estão sendo enfrentados pelos usuários do transporte aéreo".

6. "Ô Preta, não vou discutir promiscuidade. Eu não corro esse risco. Meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambiente como, lamentavelmente, é o teu". (Jair Bolsonaro)

Frase de Bolsonaro dita em 2011, em resposta à cantora Preta Gil sobre o que faria se o filho se apaixonasse por uma mulher negra.

Como Bolsonaro explica a frase: A reação ao comentário de Bolsonaro foi imediata. No dia seguinte, o deputado disse que entendeu a pergunta errada. "O que eu entendi foi o seguinte: 'Se o seu filho tivesse um relacionamento com um gay, como você se comportaria?'", disse na época.

7. "Estou me lixando para a opinião pública" (Sérgio Moraes-PTB)

Frase dita por Moraes ao ser questionado sobre a absolvição de um parlamentar no Conselho de Ética em 2009.

Como Moraes explica a frase: A polêmica declaração de Moraes foi dada quando ele era relator de um processo contra o ex-deputado Edmar Moreira (PR-MG), que ganhou notoriedade por possuir um castelo no interior de Minas Gerais e foi investigado por ter destinado recursos de verba indenizatória da Câmara para empresas de sua propriedade.

Moraes pretendia absolver Moreira e, quando foi questionado sobre a possível reação da opinião pública, disse a frase que o deixou famoso.

8. "Não estupro porque você não merece" (Jair Bolsonaro)

Frase de Bolsonaro para Maria do Rosário (dita em duas ocasiões: 2003 e 2014)

Como Bolsonaro explica a frase: Na época, a deputada apresentou queixa-crime no Supremo Tribunal Federal acusando Bolsonaro de cometer crimes de calúnia e injúria. Em sua defesa, Bolsonaro negou as acusações, alegando que tinha "mãe, esposa, filha, três irmãs, sobrinhas, primas e inúmeras amigas" e, por isso, "jamais agrediria alguém pelo fato de ser mulher".

Esta semana, Bolsonaro foi condenado a indenizar Maria do Rosário em R$ 10 mil.

9. "As mulheres trabalham deitadas e descansam em pé" (Clodovil-PR)

Frase dita por Clodovil (deputado já falecido) em 2007 durante discussão com a deputada Cida Diogo.

Como Clodovil explicou a frase: "Eu cresci enfeitando as mulheres e, tenho consciência disso, foi só por isso que eu cheguei onde eu cheguei. Os meus votos são das mães de família, das pessoas que acreditam na televisão limpa que seu sempre fiz. Agora, é evidente: agradar a todos é impossível. Se Jesus não agradou, por que eu, um pobre mortal, agradaria a todos?", disse na época.

10. "A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime, à rejeição" (Marco Feliciano)

Frase publicada por Feliciano em seu Twitter, em 2011.

Como Feliciano explicou a frase: Depois da polêmica, o deputado disse que a mensagem foi uma resposta a ataques que diz sofrer de grupos defensores da causa dos homossexuais.

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/09/as-10-maiores-besteiras-compartilhadas-por-politicos.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores