Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

domingo, 5 de dezembro de 2010

Sois fortes em sua fraqueza

O corpo paga pelo espírito fraco. Mas a fraqueza é humana, pois o ser humana é o único animal que fraqueja. Fraquejar, no sentido que escrevo aqui, significa adoecer no enfrentamento com a vida, retrocedendo por vezes frente ao conflito ou embate. Aquele que fraqueja é um ser dotado de grande sensibilidade, em oposição com a atitude grosseira do espírito forte que no ardor do enfrentamento deixa passar as sutilezas da vida, as coisas miúdas e ao mesmo tempo grandiosas. A atitude grosseira do espírito forte é própria do guerreiro e a atitude sensível do espírito fraco é própria do filósofo e do artista. A filosofia e a arte só podem nascer de um espírito sensível, afeito as pequenas coisas, perspicaz com as sutilezas.

Não pense, contudo, o leitor que eu pretenda elevar o espírito fraco como exemplo, modelo ou norma padrão. Nem que cada sujeito está condicionado a ter um destes dois espíritos: o fraco ou o forte. Quero apenas dizer que o espírito fraco é tão necessário para a sociedade humana quanto o espírito forte. É necessário que existam guerreiros, mas também é necessário que existam filósofos e artistas. O que não exclui a possibilidade que estes dois espíritos tem de misturarem-se, fundirem-se em diferentes quantidades. Emergirem e submergirem em situações diversas na vida do indivíduo. Portanto, assim como um guerreiro pode fraquejar, um fraco pode se fortalecer diante da batalha.

A beleza do espírito fraco está em converter seus conflitos em criação. A criação é a solução, ou uma solução, para o conflito. O indivíduo de espírito fraco, então, devolve ao mundo o que o mundo lhe ofereceu e a forma como ele o compreendeu. O espírito forte assimila facilmente e aceita incondicionalmente a ordem. O espírito fraco vê na ordem incoerência, impossibilidade. O lugar do espírito fraco é no caos. A sua luta é com o gigante da razão. Nessa luta ele se torna forte. Por tudo isso, forte também é o fraco.
 
Alexandre, O Pequeno

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores