Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

quinta-feira, 9 de abril de 2009

O absurdo é o divino

[...] somos é esfinges falsas e não sabemos o que somos realmente. O único modo de estarmos de acordo com a vida é estarmos em desacordo com nós próprios. O absurdo éo divino.

Fernando Pessoa, O livro do desassossego, p. 60.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores