Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Sobre a mulher

As uniões que se celebram, por amor (chamados casamentos por amor) têm o erro por pai e a necessidade por mãe. p. 263
 
Muitas pessoas, notadamente mulheres, não sentem o aborrecimento, porque nunca aprenderam a trabalhar regularmente. p. 263
 
As mulheres se tornam por amor exatamente o que elas são no pensamento dos homens por quem são amadas. p. 265
 
Onde quer que se procure por elas, há mulheres que não tem interior e não são senão máscaras. Deve-se lamentar o homem que se abandona a esses seres quase fantasmas, necessariamente pouco satisfatórios, mas que são precisamente capazes de despertar mais intensamente o desejo do homem: ele procura sua alma e não cessa de procurá-la. p. 266
 
 
NIETZSCHE, Friedrich. Humano, demasiado humano. Tradução de Antônio Carlos Braga. 2. ed. São Paulo: Escala, [198-?]. 356 p. ISBN 85-7556-757-8 (Grandes obras do pensamento universal, 42)
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores