Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Querer por querer

A maioria das pessoas são mais ou menos escravas da hereditariedade, dos que a rodeiam, etc., e manifestam muito pouca liberdade. São guiadas pelas opiniões, os costumes e as idéias do mundo exterior, e também pelas suas emoções, sensações e condições, etc. Não manifestam domínio algum, digno de nome. [...] Que os faz querer fazer uma coisa de preferência a outra; que lhes faz aprazer fazer isto e não aquilo? Não existe por que para seu prazer e desejo? O mestre pode mudar estes prazeres e vontades em outros no lado oposto do pólo mental. Ele é capaz de querer por querer, sem querer por causa das condições, emoções, sensações ou sugestões do meio, sem tendência ou desejo.  p. 116

O CAIBALION: Estudo da filosofia hermética do antigo Egito e da Grécia. Tradução de Rosabis Camaysar. São Paulo: Pensamento, 19-? 126 p.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores