Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

sexta-feira, 14 de maio de 2010

De mim é que estou cansado

Estio. Uma brisa ardida
Passa no ar abrasado.
Não estou cansado da vida:
De mim é que estou cansado.
 
E como na tarde sumida
O sol baço luz sem rir,
Tenho que sorrir à vida
Sem ter vida a que sorrir.
 
Pessoa, Fernando. Poesia: 1918-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. p. 254

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores