Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Poema para quem ousa escrever

A folha em branco espera
Que não seja apenas suporte da escrita
De algum escritor ou poeta.

Mas sim que seja escrita, apagada,
Reescrita, copiada, revista e ampliada,
Que enfim, não seja abandonada.

Não prive o mundo de suas impressões,
Experiências, amores, paixões.
Sê persistente, e maravilhas surgirão à sua frente.

Para quem ousa escrever,
Eu, a folha em branco, lhe digo:
Acabes o que começou, senão estarás perdido.

Pode parecer ameaça, mas não é.
De fato ocorrerá uma desgraça, a psicologia atenta:
O peso de uma folha em branco ninguém agüenta.

f. foresti em 27/10/2004

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores