Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

sexta-feira, 28 de março de 2008

Álvaro de Campos - Sobre o Destino

CAMPOS, Álvaro de. Poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p. 259

Arre...
[...]
Mas então isto não acaba?
É destino?
Sim, é o meu destino
Distribuido pelos meus conseguimentos no lixo
E os meus propósitos à beira da estrada -
Os meus conseguimentos rasgados por crianças,
Os meus propósitos mijados por mendigos,
E toda a minha alma uma toalha suja que escorregou para o chão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores