Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Identificação e Biologia das Brocas

São besouros, portanto insetos, e têm vida isolada e pertencem à ordem COLEOPTERA. Temos mais de 300 mil espécies (maior ordem do reino animal). Esses besouros furam a madeira em busca de alimento e abrigo.

Apresentam os seguintes estágios; ovo, larva, pupa e adulto. São as larvas que atacam as madeiras para se alimentar. Preferem peças de vime ou cipó, que são menos resistentes. O seu ciclo de vida pode durar um ano e a fase larval é a mais longa. O dano que causam é um orifício no móvel para a saída do besouro adulto que dura apenas poucas semanas. Mas em um móvel podemos ter várias infestações por brocas. Algumas brocas depositam seus ovos na superfície da madeira ou fendas. Dos ovos saem às larvas que se alimentam da madeira. Como não são animais sociais, eles cavam galerias individuais. Essas galerias são fechadas pelas fezes do animal. Às vezes podemos observar resíduos igual uma serragem, que saem pelos orifícios deixados. Muitas vezes confundimos com cupim.

Para evitarmos os cupins e as brocas temos que evitar colocar em nossas casas, móveis que apresentem furos dos quais saiam resíduos. A peroba dificilmente é atacada por esses insetos por ser dura naturalmente. Para combater podemos fazer a fumigação (exposição do material em local fechado sob ação de gás tóxico) usando os serviços de técnicos especializados. Peças pequenas, podemos colocar no congelador por 48 a 72 horas, para que os insetos morram. Esses tratamentos não impedem que sejam infestados novamente. A melhor forma é a prevenção, que consiste em fechar as janelas na época das revoadas (primavera), apagar as luzes e verificar periodicamente os móveis da casa para eliminarmos os focos desses insetos.

Móveis, molduras, batentes, estruturas, livros são seus alvos. Na sua fase larval destrói a madeira perfurando grandes extensões de galerias. Pode-se identificar o ataque através de depósitos de pó próximo de orifícios. Por trás dos furinhos pode existir uma destruição incalculável. Para prevenir: o ideal é aplicar Inseticidas de uso profissional nos orifícios e após aplicação tapar os buracos para identificar novos ataques. Ação em todas as superfícies de todas as peças da madeira antes da construção. Utilize pincéis ou mergulhe as peças para maior proteção. Para combater: identifique os furinhos das brocas. Alguns estarão abertos outros tampados com o resíduo (pó) gerado pelas brocas. Injete cuidadosamente em todos os furos e pincele por toda a extensão da madeira. Observe por uma semana, se persistir reaplique o produto.

Ovos
A multiplicação destas espécies é sexuada. A fêmea deposita mais de mil ovos durante sua existência, os quais são difíceis de serem identificados, graças ao seu tamanho reduzido, e por estarem no interior dos materiais a serem consumidos. Geralmente a fêmea deposita um único ovo por vez, e em seguida a cavidade é fechada devido á uma secreção gelatinosa produzida pela fêmea.

Larvas
Em poucos dias, os ovos se transformam em larvas, que imediatamente começam a alimentar-se, cavando uma galeria no interior dos materiais (cereais ou vegetais). Dotada de um aparelho mastigador bem desenvolvido, em pouco tempo ocasionam grandes danos, além do mais, suas excreções comprometem o material, abrindo caminho para fungos, ácaros e outros insetos, deterioradores de madeira. O desenvolvimento da larva passa por diversas fases de ecdises (troca de casca para o inseto crescer), até chegar á fase de pupa.

Pupa
É nesta fase que se produzem as mudanças fisiológicas que irão dar origem a um novo inseto adulto. A pupa permanece imóvel, em estado de repouso, e não se alimenta até completar a mudança.

Inseto Adulto
Este não realiza mais crescimento devido o fato de seu exoesqueleto apresentar uma ecdise muito resistente.

Os coleópteros são insetos polífagos (alimentam-se de tudo), e apresentam considerável importância agrícola, dado o elevado número de espécies filófagas (alimentam-se de vegetal).

Por outro lado, encontram-se entre eles muitas espécies benéficas, que atacam plantas daninhas e outros insetos.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores