Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Geografia de Santa Catarina

Posição geográfica

Totalmente na porção sul do hemisfério ocidental (subtropical)

OBS: Latitude = distância do equador e Longitude = distância de Greenwich


Amplitude com base nos pontos extremos:

  • latitude: 276,1 km

  • longitude: 543,5 km


  • Pontos extremos:

  • Norte: curva do rio Saí-Guaçú

  • Sul: nascente do rio Mampituba

  • Leste: ponta dos Ingleses

  • Oeste: confluência dos rio Peperi-Guaçú e Uruguai


Limites

  • Norte: Paraná, 756 km (rio Peperi ao saí-Guaçú)

  • Sul: RG, 958 km (Mampituba e Peperi)

  • Leste: Oceano Atlântico

  • Oeste: Argentina, 246 km (através do Peperi)


Núcleos originais

  • São Francisco do Sul, Desterro, Laguna e Lages.


  • Microrregiões (anexo 1)

São regiões de municípios que possuem identidade de ambiente físico, organização espacial, potencial produtivo e relações de produção. Existem 4 Mesoregiões: 1. Leste; 2. Florianópolis; 3. Sul e 4. Oeste que subdividem-se em 16 microrregiões:


Geologia (anexo 2)


Observação

  • Magmáticas: solidificação do magma, material ígneo resfriado (intrusiva = dentro da crosta. Ex: granito e extrusiva na superfície. Ex. basalto)

  • Metamórficas: da transformação de outras rochas dentro da crosta, devido á temperatura e pressão. Ex: gnaisses e mármore.

  • Sedimentares: erosão, restos de seres vivos e precipitação química de sais. Ex: arenito, carvão, calcário.


É diversificada pois seu território passou por diversos estágios de evolução. Do litoral para o interior surgem sucessivamente:

  1. faixa sedimentar descontínua do quaternário

  2. faixa de rochas magmáticas e metamórficas do pré-cambriano

  3. faixa de rochas sedimentares do paleozóico e mesozóico

  4. região coberta por derrames do mesozóico


  1. era Pré Cambriana (primitiva)

  • rochas mais antigas

  • próximo ao litoral

  • embasamento cristalino -> Complexo ou Plataforma Brasileira

  • rochas magmáticas intrusivas ou cristalinas

  • movimentos diastróficos (falhas, rebaixamento, etc.)


  1. era Paleozóica

  • Bacia sedimentar do Paraná (carvão)

  • Arenitos e folhelhos


  1. era Mesozóica (secundária)

  • região central e oeste (vulcanismo e fissura)

  • sorguimento e basculamento para Oeste (maiores altitudes = 2000 m)


  1. Cenozóico

  • principalmente litoral

  • áreas arenosas, mangues (São F. até Laguna), pântanos. = 2% área.


Relevo (anexo 3)


Características:

  • Maior altitude: contrafortes da serra geral com + 1400 m localizados no planalto de São Joaquim e arredores (1%)

  • Ponto culminante: 1808 m entre os municípios de Bom Jardim da Serra, Orleans e Urubici; temperaturas mais elevadas do país devido altura e afastamento entre os rios.

  • 89,9% entre 200 e 1400 m


  • Clima (anexo 4)


Observação: tempo = condição momentânea da atmosfera e clima = seqüência habitual de tipos de tempo

  • SC está em uma área de transição entre as regiões tropical e temperada propriamente dita, caracterizando-se pela subtropicalidade


Fator Maritimidade:

  • Correntes marítimas: a. do Brasil (quente): atua no litoral amenizando as temperaturas no período mais frio. b. Malvinas (fria): atua ocasionalmente provocando a queda da temperatura.


Fator Continentalidade:

  • principalmente no Centro-oeste, amenizando amplitudes térmicas (agravando as temperaturas)

  • por sua influência, no extremo oeste (mesmo não sendo a área mais ria) é onde ocorre as maiores amplitudes térmicas (máxima 40º e mínima –4º)


Fator circulação do ar:

  • Anticlone Tropical (reg. trop) = Oceano Atlântico

  • Anticlone Polar (reg. Subtropical) = AO -> surgem aqui massas de ar responsáveis pela dinâmica da atmosfera da região:

  1. Polar Atlântica (mPa): fria, seca, estável, no deslocamento adquire umidade do mar; temperaturas mais baixas.

  2. Tropical Atlântica (mTa): vento nordeste, chuvas orográficas e algumas trovoadas; temperaturas mais elevadas.


Do encontro destas duas surge a região Frontal (FPA) de grande instabilidade com ventos e queda da temperatura e tempo instável. Ocorre em todas as estações do ano.

Observação: atuam esporadicamente a Polar Pacífica (mPp) e Tropical Continental (mTc). Média anual -> Litoral (quente) + 20º e Planalto (moderada/fria) 15º.


Pluviosidade

  • distribuição uniforme

  • reflete atuação das massas mTa (velocidade) e mPa (umidade) regulando sua intensidade, volume e duração.

  • Média entre 1250 e 2000 mm; difere do Noroeste que supera 2000 mm e do litoral que é inferior 1250 mm.


  • Hidrografia (2 sistemas)

  1. Vertente do litoral: formada por bacias isoladas e rios que vcorrem diretamente para o mar; orientam-se no sentido Oeste-Leste; menores que os do interior; apenas a Bacia do Itajaí supera em área a do Iguaçú;


  1. Vertente do Interior (62,7%): formada pelas Bacias dos Rios Uruguai, Iguaçú (nasce em Curitiba) e afluentes; principal linha divisória é a escarpa da Serra Geral e Serra do Espigão, entre a Bacia do Iguaçú (norte) e rios da bacia do Uruguai;

  • maior Bacia Hidrográfica: Uruguai (formadores são Pelotas – nasce no Morro da Igraja - e Canoas – Campo dos Padres) com 51,65% território catarinense. Estância de águas termais em Chapecó, São Carlos, Piratuba, Palmitos, Caibí e Mondaí. (anexo 5)

  • a extensão, forma e número de afluentes do vale favorece as cheias;

  • represa de Pilões: Rio Vargem do Braço = maior reserva da capital

  • Rio Uruguai + Paraná + Paraguai = Rio da Prata

2 comentários:

Arquivos Malucos

Seguidores