Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A poesia em si

A poesia em si
Não é nada para mi,
Só deixa só.
Mas tanto fá.

Não fique em dó,
Se eu levei ré,
Canto meu lá lá lá,
De forma qualquer.

A poesia só tem valor
Se é escrita com sangue.
Mas o sangue pode ser
Apenas tinta vermelha.
O que importa de fato
É a capacidade de sofrer do poeta.
E com relação a isso, meus amigos,
Este poeta chorão é um atleta.
Deixem-me ficar com dó em mi, que,
Mesmo lá, estarei só, em si menor sustenido.


fforesti.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores