Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. (Padre Antônio Vieira)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Rosas e brasas

Lembra quando lhe disse
Que fui ao céu e voltei?
Tem uma parte deste incidente
Que, meu amor, eu não lhe contei.
 
Quando estava voltando,
Vi teu corpo do lado de cima,
E reparei: como é perfeito
Este ângulo que ninguém vira.
 
Mais perto cheguei, num zeloso sondar,
Notei tão lindas tatuagens coloridas,
Aflito, sem saber com qual brincar,
 
Percorri você inteira, e em tuas costas largas,
Macias, uma tatuagem que ria, dizia:
"Inoportuno, queres rosas? Terás brasas".

fabricio e fabiano foresti
www.palavrascomcheiro.com
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivos Malucos

Seguidores